Quanto ao ou quanto a?

Quanto a Ou quanto a crase?

Nas orações em que aparece um termo regido pela preposição "a" acompanhado de numerais, o acento grave indicativo da crase é dispensado. É importante assinalar, ainda, que o emprego da crase é dispensado quando a expressão composta pelo numeral for indicativa de datas.

Quanto ao significado?

Mormente, principalmente; além de que.

Quanto a questão ou quanto a questão?

Assim: “pedido a ele” / “pedido a ela” (sem crase), mas “ir ao quarto” / “ir à sala”; “menção ao autor” / “menção à autora”; “referente ao rapaz” / “referente à moça”; “quanto aoproblema” / “quanto à questão”. Importante: O à é produto de dois aa que se fundiram, na escrita como na pronúncia.

Quanto a solicitação ou quanto a solicitação?

A oração "Atendendo à solicitação dos professores" é corretamente grafada com crase. A ocorrência da crase na frase justifica-se por meio do encontro entre a preposição "a" e o artigo "a" referente ao termo "solicitação": > Atendendo a a solicitação dos professores. >

Como saber se a crase ou não?

Como regra geral, só se usa crase antes de palavras femininas. A exceção são os pronomes demonstrativos aquele e aquilo. Em alguns casos, a palavra feminina está subentendida, como ocorre normalmente com moda e maneira: salto à Luiz XV (à moda de Luiz XV) e escrita à Camões (à maneira de Camões).

Quanto a quem tem crase?

A crase não deve ser empregada junto aos pronomes relativos QUE, QUEM e CUJO(A).

Quanto à data ou quanto à data?

A forma correta de escrita é até à data de acordo com a Língua Portuguesa. Ou seja, é escrito com a contração à.

Quanto ao sinônimos?

1 no que se refere a, no que diz respeito a, em relação a, relativamente a, com relação a, no que respeita a, no que concerne a, com respeito a, a respeito de, acerca de, no que tange a, no tocante a.

Quanto a data ou quanto a data?

As duas formas podem estar corretas, dependendo da estrutura da frase. Quanto a é uma locução prepositiva que termina com a preposição a. Dependendo do termo seguinte, poderá ocorrer ou não contração com esse termo, ou seja, poderá ocorrer ou não crase: Quanto a isso, nada sei.

Quem responde responde a ou ao?

Por mais que na linguagem coloquial seja usado sem a preposição "a", o uso gramatical correto requer o uso: Exemplo: Respondeu ao professor. Respondeu à mãe.

Quem atende atende a ou ao?

As duas formas estão corretas.

Pode ser dito atender o telefone e atender o cliente, bem como atender ao telefone e atender ao cliente, sendo facultativo o uso da preposição a. Há, contudo, uma preferência para a regência com preposição quando indica uma coisa e para a regência sem preposição quando indica uma pessoa.

Como não errar no uso da crase?

Uma das formas mais eficientes para testar se uma frase exige ou não o uso da crase é substituir o substantivo feminino por um substantivo masculino. Se utilizando um substantivo masculino temos como resultado a contração “AO” (preposição + artigo), significa que a crase é necessária com o substantivo feminino.

Onde não se usa crase?

Regras de quando NÃO usar crase

antes de palavras masculinas; antes de verbos; antes de pronomes pessoais do caso reto (eu, tu, ele, nós, vós, eles) e do caso oblíquo (me, mim, comigo, te, ti, contigo, se, si, o, lhe); antes dos pronomes demonstrativos isso, esse, este, esta, essa.

Quanto a data tem crase?

Nunca se deve usar a crase entre datas.

Quanto a necessidade ou a necessidade?

Resposta verificada por especialistas. O termo "Quanto à necessidade" é craseada. Conceituamos a crase como a contração entre duas vogais iguais no qual existe o metaplasmos por supressão de fonemas.

O que significa a palavra quanto ao mais?

Indica as restantes coisas: 1 no mais, de resto, no restante, no resto, nas restantes coisas.

Qual é o sinônimo da palavra ao?

4 sinônimos de ao para 1 sentido da palavra ao: Contração da preposição a com artigo o: 1 no, a um, em um, num.

Quanto a minha ou quanto a minha?

O uso do acento da crase só é facultativo antes de pronomes possessivos femininos no singular (=minha, tua, sua, nossa, vossa). Se for masculino, não há crase: “Ele veio a ou ao meu apartamento”; “Estamos a ou ao seu dispor.”